• Guilherme Bonini

Lágrima negra em pele de loba

Atualizado: 24 de fev.

A transformação de uma mulher que vive uma dualidade entre um aprisionamento social interno e a liberdade artística externa. Seus conflitos são expressos através do corpo e da mente, numa transgressão entre a fantasia e realidade

O curta-metragem retrata a história de LU uma coreógrafa, diretora de uma companhia de dança que vive um período de crise existencial, próximos aos seus 40 anos. Vivenciando o processo da elaboração de um espetáculo solo de dança, passa por uma crise existencial e criativa. Na ânsia pelo desbloqueio de tal entrave, a personagem percorre caminhos através de reencontros com suas memórias e raízes ancestrais. Através de uma atmosfera entre o místico e sagrado, em devaneios, LU se depara com descobertas que irão mudar radicalmente sua vida e obra.


Proposta criativa

A crise existencial da personagem delineia o jogo entre intérprete e diretor, o qual acompanha a história de vida dela por meio das etapas de sua criação artística.


Bastidores


Foram 3 meses de pré-produção, 3 semanas de produção e 2 meses e 1 semana que pós-produção.




Dificuldades

Realizamos a produção durante o período da pandemia, o lockdown realizado na cidade de Araraquara gerou 2 semanas de atraso nas gravações e aproveitamos esse tempo para ensaio e testes de fotografia.



Experiência única


O projeto foi idealizado como proposta de fomento a produção de cinema no interior. Foram mais de 30 pessoas envolvidas com empregos diretos e indiretos, a proposta foi desde o início proporcionar a inclusão e diversidade por uma equipe múltipla, dispostas a aprender juntos e impulsionar a voz do cinema do interior paulista.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Memórias